Adriene - Dri Fotografia

Adriene - Dri Fotografia
Adriene - Dri Fotografia

Fotógrafa de família, de encontros, de amor, de coração. Fotografia documental, ensaios e eventos com afeto e acolhimento. Campinas, SP

followers count:  820
followers rank: 0
likes count:  4,304
like rank:  0

a.drifotografia

Account rate

Mathematical model that shows the popularity of an account relative to others.

Statistics

0
Average likes per post
0
Average comments per post

Photos and videos ratio

5% videos
95% photos
Tem dias que a gente precisa pedir pra alguém abrir a janela pra gente ver a luz. Nem sempre dá pra sair da escuridão sozinho.
O importante importante saber que ela continua lá. A Luz. E que ela é pra gente, e a gente pra ela...

Adriene - Dri Fotografia

Tem dias que a gente precisa pedir pra alguém abrir a janela pra gente ver a luz. Nem sempre dá pra sair da escuridão sozinho. O importante importante saber que ela continua lá. A Luz. E que ela é pra gente, e a gente pra ela...

Hoje é dia dos avós e essa é a minha. Uma das. A que conheci. Vovó Teresinha.
Minhs avó foi grande nas lutas, foi longe pra na coragem pra criar os filhos e netos, mas nem tanto no tempo aqui com a gente. Já faz mais de 20 anos que nos deixou...
Ainda sim, aqui são tantas as memórias, mas o convívio foi tão pouco. 
Vovó me ensinou a costurar, a chupar o osso da carne, a brincar de 5 Marias, fazer bolo de barro, chupar cana...
Mas nunca passei férias ou dormi na casa dela.
Antigamente eu olhava a relação dos meus amigos com seus avós e não entendia direito esse amor. Até entender que o meu pela vó Teresinha sempre esteve ali. No jeitinho dela, nas brincadeiras, nas bonecas que ela fez pra todas as netas, na voz rouca dela, no maior presente que ela me deu: minha mãe.

Nossas fotos são poucas, mas sou tão grata por ter inclusive essa de um dia que fomos visita-la e ela já estava bastante doente e com muita dor. Eu não entendia muito bem, mas eu a abracei ainda posso sentir como era.
Que saudades dos momentos não vividos com senhora, Dona Teresa 

Que saudades, vózinha!

Parabéns a todos os vovôs e vovós que fazem esse dia tão doce!
(E obrigada a todos os meus amigos que me emprestam os seus avós pra me darem aquele amor tão gostoso e único de vó)

Adriene - Dri Fotografia

Hoje é dia dos avós e essa é a minha. Uma das. A que conheci. Vovó Teresinha. Minhs avó foi grande nas lutas, foi longe pra na coragem pra criar os filhos e netos, mas nem tanto no tempo aqui com a gente. Já faz mais de 20 anos que nos deixou... Ainda sim, aqui são tantas as memórias, mas o convívio foi tão pouco. Vovó me ensinou a costurar, a chupar o osso da carne, a brincar de 5 Marias, fazer bolo de barro, chupar cana... Mas nunca passei férias ou dormi na casa dela. Antigamente eu olhava a relação dos meus amigos com seus avós e não entendia direito esse amor. Até entender que o meu pela vó Teresinha sempre esteve ali. No jeitinho dela, nas brincadeiras, nas bonecas que ela fez pra todas as netas, na voz rouca dela, no maior presente que ela me deu: minha mãe. Nossas fotos são poucas, mas sou tão grata por ter inclusive essa de um dia que fomos visita-la e ela já estava bastante doente e com muita dor. Eu não entendia muito bem, mas eu a abracei ainda posso sentir como era. Que saudades dos momentos não vividos com senhora, Dona Teresa Que saudades, vózinha! Parabéns a todos os vovôs e vovós que fazem esse dia tão doce! (E obrigada a todos os meus amigos que me emprestam os seus avós pra me darem aquele amor tão gostoso e único de vó)

Ontem, dia 20 de julho foi dia do amigo.
E acho que não existe coisa melhor do que encontrar um de verdade.

Eu queria fazer um post enorme falando sobre meus amigos e o que e quanto eles significam pra mim, mas não rolou.
E acho maravilhoso pensar que é exatamente sobre isso. Nada é forçado. (Com dramas, talvez, rs)
Mas é ter algo leve e ao mesmo tempo tão significativo, potente, forte.
Tão tudo! 💛

MARQUE aqui (se quiser) um amigo que não precisa, mas que a amizade é tão potente e tão tudo mesmo sem nada.

Adriene - Dri Fotografia

Ontem, dia 20 de julho foi dia do amigo. E acho que não existe coisa melhor do que encontrar um de verdade. Eu queria fazer um post enorme falando sobre meus amigos e o que e quanto eles significam pra mim, mas não rolou. E acho maravilhoso pensar que é exatamente sobre isso. Nada é forçado. (Com dramas, talvez, rs) Mas é ter algo leve e ao mesmo tempo tão significativo, potente, forte. Tão tudo! 💛 MARQUE aqui (se quiser) um amigo que não precisa, mas que a amizade é tão potente e tão tudo mesmo sem nada.

Estou de mudança e em mudança. Cheia de caixas, histórias, questões e registros.
Ahhh, muitas questões, poucas respostas.
Estou de mudança. 
De lugar, de foco, de perspectivas. 
E isso dói. Dói, mas é importante vivê-la e sei que quero ser inteira nesse processo.
Mas a real é que hoje só está doendo mesmo.

Então esse post é só pra eu lembrar. É por aquilo que quero lembrar. Aquilo que consegui passar.
Quero olhar pra essa jornada e me ver com amor. E nessa luta sigo.

P.S: Essa foto foi feita pela @carolina_pires pra registrar meu cantinho de fora, mas que registrou ainda mais ou meu cantinho de dentro, claro! 
Obrigada sempre, Carol!

Adriene - Dri Fotografia

Estou de mudança e em mudança. Cheia de caixas, histórias, questões e registros. Ahhh, muitas questões, poucas respostas. Estou de mudança. De lugar, de foco, de perspectivas. E isso dói. Dói, mas é importante vivê-la e sei que quero ser inteira nesse processo. Mas a real é que hoje só está doendo mesmo. Então esse post é só pra eu lembrar. É por aquilo que quero lembrar. Aquilo que consegui passar. Quero olhar pra essa jornada e me ver com amor. E nessa luta sigo. P.S: Essa foto foi feita pela @carolina_pires pra registrar meu cantinho de fora, mas que registrou ainda mais ou meu cantinho de dentro, claro! Obrigada sempre, Carol!

Adriene - Dri Fotografia

Ontem eu trouxe um pouquinho de música aos stories não só pelo clichê da trilha sonora, mas pelo tocar da alma. Quais músicas te tocam fundo na memória? A que imagens elas te remetem? Ou o contrário? Que música você sempre ouvia no carro? Qual ensaiou mil vezes pra cantar na escola no dia das mães, na formatura? Que canção embalou a sua fossa? Qual você canta ou cantou pro seu filho? Que música já cantaram pra você? Que imagens vem a sua mente quando você lembra delas? Você tem fotos desses momentos? Me conta aqui também! 💛

Um monte de amor misturado com uma vivência adolescente chamada "não queria estar aqui".

Mas eu amo estar e registrar até isso. 💛

Adriene - Dri Fotografia

Um monte de amor misturado com uma vivência adolescente chamada "não queria estar aqui". Mas eu amo estar e registrar até isso. 💛

Adriene - Dri Fotografia

Não é só um ensaio, é sobre memórias com um pai. É sobre a sua história Me chame pra entender mais!

Adriene - Dri Fotografia

Ahh, as fotos de antes e depois e o tanto de histórias, sentimentos, caminhadas que podemos ver nelas. Algumas são iguais e planejadas, outras coincidências que falam por si. Mas sempre tocam, sempre trazem reflexões algum sentimento sobre vida, tempo, amor, luta, laços. E por aí? Você tem fotos dessas?

Hoje deu vontade de falar um pouco sobre como tem funcionado essa questão dos protocolos pra Covid pra mim, meus clientes e em mim.

Então bora:
1- Meus protocolos de sempre: higienização de equipamentos, lavar as mãos ao chegar a casa do cliente para o ensaio, lavar as mãos caso vá encostar em bebês.
Adicionei: Máscara, distanciamento, nada de abraço, álcool gel, tensão constante.

2- Eu sempre fui a pessoa que abraça, então eu começo falando "aaai, que pena que não dá pra abraçar" pra evitarmos a expectativa, constrangimento e possível ideia de rejeição.

3- Eu ainda encosto nas pessoas em alguns momentos pra direcionar e demonstrar afeto. 
Pessoas encostam em mim em alguns momentos porque não aguentam mais. Especialmente crianças e senhoras fofas afetuosas. Algumas me abraçam. (Eu fico super ambivalente sobre como me comportar em situações assim, mas eu amo tanto quando acontece. Só não incentivo...)

4- Sou profissional da área da saúde. Já estava acostumada com o raciocínio dos protocolos de higiene. Então também faço o que faz sentido cientificamente falando, e não por ser basicamente um protocolo.

 5- Eu não costumo tirar a máscara a não ser para beber água (mas queria tanto poder)

6- Eu cumpro os protocolos para a minha proteção, da minha família e pela sua, para ser profissional, amorosa e cuidadosa. 
Ainda assim, todos os dias eu sinto vontade de te abraçar, beijar, conversar, tomar um chá com você.

7- Eu já tomei a primeira dose da vacina (viva o SUS) e continuo me cuidando, me protegendo e protegendo o outro.

8- Use máscara!

Adriene - Dri Fotografia

Hoje deu vontade de falar um pouco sobre como tem funcionado essa questão dos protocolos pra Covid pra mim, meus clientes e em mim. Então bora: 1- Meus protocolos de sempre: higienização de equipamentos, lavar as mãos ao chegar a casa do cliente para o ensaio, lavar as mãos caso vá encostar em bebês. Adicionei: Máscara, distanciamento, nada de abraço, álcool gel, tensão constante. 2- Eu sempre fui a pessoa que abraça, então eu começo falando "aaai, que pena que não dá pra abraçar" pra evitarmos a expectativa, constrangimento e possível ideia de rejeição. 3- Eu ainda encosto nas pessoas em alguns momentos pra direcionar e demonstrar afeto. Pessoas encostam em mim em alguns momentos porque não aguentam mais. Especialmente crianças e senhoras fofas afetuosas. Algumas me abraçam. (Eu fico super ambivalente sobre como me comportar em situações assim, mas eu amo tanto quando acontece. Só não incentivo...) 4- Sou profissional da área da saúde. Já estava acostumada com o raciocínio dos protocolos de higiene. Então também faço o que faz sentido cientificamente falando, e não por ser basicamente um protocolo. 5- Eu não costumo tirar a máscara a não ser para beber água (mas queria tanto poder) 6- Eu cumpro os protocolos para a minha proteção, da minha família e pela sua, para ser profissional, amorosa e cuidadosa. Ainda assim, todos os dias eu sinto vontade de te abraçar, beijar, conversar, tomar um chá com você. 7- Eu já tomei a primeira dose da vacina (viva o SUS) e continuo me cuidando, me protegendo e protegendo o outro. 8- Use máscara!

Como eu amo essa sensação de abrir a caixa de fotos e conversar, contar, ouvir tantas histórias. Ver, rever, entender, momentos, sorrisos, espaços, pessoas.
Você revela suas fotos? Alguém revela pra você? 
Me conta aqui como anda a sua relação com os seus registros atuais? Tudo perdido nas nuvens, celulares e HDs da vida ou aquelas caixas de dar gosto de abrir?

Adriene - Dri Fotografia

Como eu amo essa sensação de abrir a caixa de fotos e conversar, contar, ouvir tantas histórias. Ver, rever, entender, momentos, sorrisos, espaços, pessoas. Você revela suas fotos? Alguém revela pra você? Me conta aqui como anda a sua relação com os seus registros atuais? Tudo perdido nas nuvens, celulares e HDs da vida ou aquelas caixas de dar gosto de abrir?

Adriene - Dri Fotografia

Há alguns dias eu fiz um ensaio. Fizeram um ensaio de mim? Enfim, há alguns dias, realizei um desejo de alguns anos de ser fotografada por alguém que significa muito pra mim. A @carolina_pires E, adiantando a conclusão desse texto: foi incrível! Mas eu acho que ela vai me desculpar se eu falar dessa experiência contando algo sobre mim e não sobre ela. Eu conheci e aprendi com a Carol no melhor curso que fiz até hoje sobre olhar pras coisas e quão transformador é se abrir pra vê-las. Mas voltando: Eu, ensaio, Carol. Ela veio lá de São Paulo pra cá pra fazer um ensaio nosso e geralmente esse tipo de situação me gera uma certa pressão interna de fazer a pessoa se sentir bem. Além disso, fotógrafos também tem aquela ansiedade antes de serem clicados e nem sempre ficam confortáveis quando o fazem. Mas de qualquer forma, sim, nossa família se preparou pra recebê-la com bastante carinho, mas na hora das fotos, a minha ansiedade usual pra esse tipo de situação foi embora. Eu simplesmente parei de me preocupar. Parei completamente e só confiei naquilo que ela estava fazendo. Para além disso. Não tentei agradá-la nas redes, não lembrei de pegar o celular pra fazer stories. Eu só vivi aquilo e foi tão incrível e leve poder fazê-lo... Ao deixá-la na rodoviária, depois de quase não tirarmos uma selfie, voltei refletindo e, talvez até me orgulhando da pessoa que a Carol fotografou. Num dia que recebi alguém tão importante pra mim e pra minha história, mas que veio pra contar a minha, me permiti ser protagonista. Me permiti ser vista. Me permiti falar. Me permiti respirar! E agora falando dela e pra ela: que maravilhoso ser fotografada por uma pessoa e fotógrafa tão maravilhosa! Obrigada por tantas inspirações e pela luz e pelo espaço!

Subscribe to our notifications

Join the community of users with the latest news from all social networks!